Artigos

{De Quinta} Crianças sendo crianças nos animes… finalmente!

| por:

Postado em: #Animes #Anúncios #Curiosidade #Opinião

Será que sentíamos tanta falta de termos crianças agindo como tal em animes ultimamente, sem responsabilidades, poderes e fanservice?

Olá pessoas, como estão?

O Artigo de hoje resolvi escrever pensando em alguns animes que estão no ar nesta Temporada de Inverno 2018, tendo crianças como carro-chefe neles. É claro que isso são apenas reflexões do que eu acho e você tem todo direito de não concordar. Desfrute do artigo como um mero passatempo e não deixe de comentar no final. Divirta-se!

Eu vou começar com uma pergunta: Fazíamos tanto tempo assim que nós não assistíamos alguns animes onde você tinha personagens crianças que agiam como crianças mesmo, sem colocar alguma responsabilidade importante do tipo “salvar o mundo” nelas para o desenrolar do enredo?

Bom, talvez seja impressão minha que nos animes que apareciam crianças como personagens principais ou coadjuvantes das histórias, elas sempre carregavam alguma responsabilidade de ajudar para que a história tivesse final feliz… ou trágico. Pode ser também impressão de que finalmente colocaram no ar alguns animes em que você tem crianças agindo como elas mesmo, sendo crianças, sem precisar carregar responsabilidades, poderes sobrenaturais, serem torturadas ou colocadas em situações de risco e, principalmente serem sensualizadas com algum fanservice maldito atraindo os lolicons de plantão.

Para tentar desenvolver o raciocínio nisso que eu citei, vou fixar em quatro animes desta Temporada de Inverno 2018 que estou acompanhando, claro que poderia citar outras series exibidas em temporadas passadas de anos anteriores, mas falar dos dessa aqui que chamou a atenção para isso.


Vamos começar pela creche da vovó cabeluda, digo digo, por Gakuen Babysitters. Uma série que, embora o protagonista e seus amigos sejam adolescentes, eles tem que cuidar de uns bebes meio irados em uma creche da escola que eles estudam. Se você for pegar pra ver, não é grande coisa o enredo, mas assistindo o anime -e para quem leu o mangá- tem aquele ponto da história tocante como quando uma criança pequena sente falta de alguém ou então quando elas tem algum sonho e é dificil de se realizar. São coisas simples que acabam deixando o episódio tão marcante, a ponto de nem os jovens que cuidam das crianças conseguem entender.

São uns amorzinhos!!!


Aqui eu vou citar dois animes que podem parecer fugirem um pouco disso, Ryuuou no Oshigoto! e Karakai Jouzu no Takagi-san. O motivo talvez seja pelos personagens desses animes não agirem tanto como crianças em algumas situações.

No caso do primeiro, você tem uma criança que só parece que deixa de agir como criança na hora que está jogando shogi seriamente contra adversários mais velhos e aparentemente melhores. Ainda sim, a personagem Ai que é uma das protagonistas e as outras meninas que aparecem com ela, agem como crianças curiosas que tem vontade de aprender sobre o jogo (embora em algumas situações, acontecem coisas meio forçadas que fogem do “normal”). Agora, o que eu acho meio desnecessário e, assim como todo anime que você tem garotinhas na casa de um protagonista masculino, é que em alguma ocasião algo completamente inexplicável acontece, parecendo um harém de lolis. Sim, neste caso eles iam colocar algum fanservice querendo ou não:

Era disso que eu tinha medo!

Só um detalhe: A light-novel original Ryuuou no Oshigoto na qual o anime é adaptado, venceu o prêmio Kono Light-Novel ga Sugoi, como a melhor light-novel de 2016, batendo séries consagradas como Oregairu (até então 3x seguidas vencedora do prêmio), Sword Art Online, DanMachi e Toaru Majutsu no Index.


Já o anime Karakai Jouzu no Takagi-san, assim como o seu mangá original, traz crianças já não tão crianças como diria meu amigo Mister Gil, devido à algumas atitudes que os personagens tem.

Você está lendo este artigo só por que achou que ia estar cheio de lolis, né? Achou errado!

Pode parecer algo mais como um romance platônico com jovens entrando na adolescência por causa de algumas falas e expressões, mas ainda são crianças e o que deixa isso mais expressivo são as brincadeiras que o Nishikata tenta fazer para pegar a Takagi, mas no fim é ele que se dá mal. Talvez o mais correto a se dizer é que esse anime coloca os personagens em um meio-termo entre a inocência de ser criança e a chegada da fase adolescente. Esse deve ser o motivo de que o mangá original já havia conquistado públicos de todas as idades que gostam desse tipo de histórias.

Resultado de imagem para takagi san

Será que a Takagi pisou no pé dele? :v

O mangá original Karakai Jouzu no Takagi-san foi nomeado para o 10º Prêmio Mangá Taisho em 2017. O autor Sōichirō Yamamoto está lançando desde o ano passado um mangá intitulado Karakai Jouzu no (Motto) Takagi-san, que mostra a Takagi adulta casada com o Nishikata e a primeira filha do casal.


Bom, mas para mim, o que mais representa o termo “crianças sendo crianças” é o anime Mitsuboshi Colors (que o nome mais parece marca e modelo de televisão). As personagens Yui, Kotoha e Sacchan fazem as coisas mais alopradas para “manter a paz” no Parque Ueno.

Crianças brincando, sendo crianças, tudo sem problema algum… não, espera, O QUE?!

Como eu citei no primeiro artigo De Quinta deste ano, estas pestes dessas garotinhas me fazem esperar a semana toda para assistir mais um episódio de suas traquinagens pela cidade. A série não tem aquele humor forçado, sendo o que deixa o anime bom é realmente o jeito de cada uma das garotas e o jeito que elas conversam com as outras pessoas da cidade que elas moram. Simplesmente crianças sendo crianças normais, mas com alguns acontecimentos fora do normal.

Resultado de imagem para mitsuboshi colors

Wooowww, estamos de novo no Artigo do Anime Xis!


A Crônica:

A gente sabe que quando o assunto é protagonizar crianças em animações, até hoje quem dá de lavada nos outros países são as produções norte-americanas. Nos animes ainda temos algumas coisas populares como Doraemon, Cardcaptor Sakura, Pokémon, Digimon, entre outros, onde tem crianças, mas geralmente tem alguma coisa de responsabilidade por trás do enredo.

O que eu, particularmente sentia falta em animes que tem crianças sendo o carro-chefe da coisa, é o lado mais inocente sem tantas responsabilidades como, por exemplo, Non Non Biyori, Minami-ke e Azumanga Daioh. Nos dois primeiros citados você tem personagens crianças que, embora tem envolvimento direto com outros protagonistas já na adolescência, ainda sim age como criança (vai me dizer que você não adorava ver as cenas em que aparecia a Ren-chon em Non Non Biyori interagindo com as outras personagens).

Já em Azumanga Daioh, a personagem Chiyo-chan foi feita para ser colocada em situação um tanto fora do comum, já que era uma garotinha de 10 anos super-dotada em uma classe de colegiais com outras garotas atrapalhadas e professores aloprados. Embora ela agia uma criança e tinha uma certa responsabilidade de se sobressair nos estudos, era tratada de igual com as colegas mais velhas e muitas vezes… sofria com isso.

Resultado de imagem para azumanga daioh chiyo-chan

Pode isso Arnaldo?

O legal dessas obras é o fato de que elas conquistam seus respectivos públicos, muitas vezes em sentido de nostalgia trazida pela inocência… e algumas traquinagens das crianças. Talvez, com tantas séries de enredos semelhantes e personagens de personalidades estereotipados, nós que já estamos ficando mais velinhos (digo por mim mesmo e pra geração anos 80/90) precisávamos um pouquinho disso.


É isso ai pessoas, espero que vocês tenham gostado (e não gostado) do artigo de hoje e eu volto em breve com um novo artigo De Quinta, aqui no Anime Xis!

Vale lembrar que também estamos abertos para sugestões de matérias para o De Quinta e consequentemente para todo o Anime Xis. Pode mandar suas perguntas, xingamentos e vale presentes através do meu twitter: @oluizsama. Você também pode me acompanhar na MyAnimeList e fazer parte do nosso clube lá: Anime Xis Brazil.

  •  E ai, o que acha? Compartilhe com os amigos e deixe seu comentário!

– Leia outras edições do De Quinta aqui no Anime Xis!

– Mais notícias de animes? Clique neste link!

Não perca nenhuma atualização, siga-nos no Twitter@Anime_Xis InstagramAnime_xis
Conhece nosso Canal no Youtube?
Curtam nossa página no FacebookAnime Xis e entrem no nosso Grupo: Anime Xis!

amazon-mangas

Sobre o autor

Luiz GP

Um fã de animes de olho nas notícias de animes e que gosta Dragon Ball e animes musicais. Além de professor de geografia, narrador esportivo, fã de esportes (principalmente NFL, NBA, NHL, MLB e ciclismo), torcedor do São Paulo FC e baixista de banda de rock as vezes. Duvidas? Siga-me que eu respondo -> twitter e Insta: @oluizsama

    • Realmente por essa eu não esperava, hauhauahuahuha xD

      • Char

        Eu nem acredito mais em crianças inocentes, um dia desses um pivete mandou eu tomar naquele lugar :v

        • Tem que pegar o pivete e lavar a boca com sabão de coco, ameaça contar pra mãe dele o que ele fez que ele treme de medo, kkkkk

  • Team Rocket

    Marcio aqui, ainda não lembrei da senha da minha conta normal -qqqq

    Ótimo post, eu também adoro animes assim que mostram personagens no seu cotidiano comum, sem ter que se preocupar com o mundo em perigo ou em salvar sua própria vida, dos 4 animes citados no post eu estou vendo 3 (Mitsuboshi Colors, Ryuuou no Oshigoto e Karakai Jouzu no Takagi-san) sendo que Takagi-san está sendo o meu preferido da temporada, eu estou me divertindo muito com os 3.

    Tmb me bateu uma nostalgia ao ver vc citando Non Non Biyori, Minami-ke e Azumanga Daioh. Principalmente os dois últimos que faz anos que vi pela primeira vez e eu tenho um carinho muito grande por Azumanga Daioh que foi um dos primeiros animes que peguei pra ver (Acho que até hj já o vi umas 6 vezes inteiro -qqq), Minami-ke acho que já vi umas 2 vezes (Exceto o Tadaima que vi uma vez só). Inclusive espero muito um dia ver aqui um anuncio de adaptação de Minami-ke 5 e Yotsuba to.

    ——————-

    E Mitsuboshi Colors não parece nome de marca de TV, parece nome de marca de carro -qqq https://uploads.disquscdn.com/images/33981f9bc5e2aff53643b7a6eef8157013469b57ed387a5842844114a1b045b1.jpg

    • Takagi-san realmente é muito bom, alias os três animes que você citou realmente agradam.
      Azumanga Daioh e Minami-ke é nostalgia pra mim também, foram os dois primeiros animes que eu baixei ainda em qualidade baixa quando saiu na internet. Os dois acho que assisti umas três vezes ( Minami-ke Tadaima assisti duas), fora que de vez em quando eu pegava um ou outro episódio para ficar matando o tempo.
      Se anunciarem Yotsuba-to ai eu pulo de alegria!

  • Aka-kun

    Compreendo bem o seu ponto e realmente as vezes sinto falta de animes que retratem a simplicidade cotidiana da vida das crianças, principalmente pra contrastar com certas obras que tratam a infancia com tanta indiferença. Eu por exemplo tenho horror a fanservice com lolis e eles tão a rodo no mercado, mas animes com non non biyori são bem raros, a renge me conquistou desde o inicio pelo jeito de lidar com as coisas… também deixo registrado que não sou contra as obras onde crianças “poderosas” são protagonistas, ja que Sakura é meu anime/mangá preferido, mas as vezes dar uma chance pro ordinario e convencional também é muito bom.

    • Cara, Sakura é um dos meus preferidos ever, eu cresci no final dos anos 90 assistindo a serie dela no Cartoon e depois na TV Globo, to adorando ver essa nova sequencia, realmente desperta nostalgia.
      Agora, quanto aos animes que colocam crianças e fanservice me incomodam também, infelizmente a galera no Japão usa muito isso e vende a doidado por lá.
      Ótimo comentário, valeu por ter lido o artigo Aka-kun!

  • wendel

    me controlando pra n falar um monte de merda do ryuuou no oshigoto………… maldito harém de lolis. ha mitsuboshi foca no mitsuboshi, isso sim são crianças S2. ah e sobre takagi-san eu tbm vejo eles como crianças. eles tão por ali começando a pensar em outras coisas mas ainda são crianças, e nossa eu adoro ver isso. n tem oque dizer mitsuboshi e takagi-san são dois ótimos animes. ah e babyshiters tbm é mo bom (babyshiters é piada com o jeito que eles falam babysitters)

    • Eu sabia que vc nao ia curtir Ryuuou no Oshigoto kkkkkk
      Cara, eu tenho as mesmas opiniões que você a respeito dos outros tres animes. A Takagi-san, mesmo despertando um certo romance entre os personagens, clarmente pra mim ainda são crianças que estão descobrindo outras coisas da vida. Já Gakuen Babysitters, quem não gosta de ver aqueles pirralhos bagunçando o coreto?
      Pelo jeito, Mitsuboshi faz com que todos esperem passar uma semana para assistir a um novo episódio e que bom que muita gente possa se divertir com este anime, sem maldades e sem coisas forçadas! Otimo coment.

  • Kaneki Ghoul

    A cada temporada venho me apegando nesse tipo de anime… calmo e relaxante…☑️

    • Verdade, eu realmente sentia falta desse tipo de série com personagens agindo inocentemente.