Artigos

{De Quinta} Animes clássicos voltando à TV, abriram o sarcófago?

| por:

Postado em: #Animes #Fãs #Mangás #Opinião #TV

GeGeGe no Kitarou, Cutie Honey, Captain Tsubasa, entre outros. O que pode significar esses animes clássicos estarem recebendo novas adaptações?

Olá pessoal, como estão? Hoje o artigo {De Quinta} é um pouco mais curto, por tanto não vou me alongar (..rá).

Como vocês podem ter percebido, já estamos dentro da Temporada de Primavera de animes e nos trouxe algo incomum: Séries que fizeram sucesso no passado voltando às TVs japonesas com novas adaptações de animes, mas dessa vez um número até grande de séries que com certeza chamou a atenção de muita gente. Será que acabou Dragon Ball Super, acharam as 7 esferas do dragão e Sheng Long resolveu fazer uma liquidação e trazendo a vida tanta coisa assim? Confira o artigo e opinem. Divirtam-se!

Claro, não é surpresa você ter alguma série de anime ou mangá que fez muito sucesso no passado ganhar uma nova adaptação, uma sequência ou remake. De alguns anos pra cá, por exemplo, tivemos filmes do Doraemon, novos animes de Sailor Moon, Saint Seiya e mais recentemente Dragon Ball e Cardcaptor Sakura, sendo este último ainda em exibição.

Mas é claro que a curiosidade nesse assunto cercam obras dos anos de 1960, 70 e 80 que voltaram as TV japonesas, como são os casos de GeGeGe no Kitarou, Cutie Honey, Lupin III, Ginga Eiyuu Densetsu (Legend os the Galatic Heroes) e Captain Tsubasa. Para quem não sabia, estas obras estão ganhando novos animes e não são pela suas 2ª vez. Poderíamos estender este assunto para a 4ª temporada de Full Metal Panic, que é uma novel publicada em 1998 à 2011 está ganhando sua sequência animada depois de 13 anos, mas vou me focar nos mais antigos.


Para vocês terem uma ideia, GeGeGe no Kitarou, mangá original do saudoso historiador e mangaká Shigeru Mizuki e que foi publicado entre 1960 à 1969, está ganhando a sua 6ª adaptação em anime (você não leu errado, é a sexta adaptação). As anteriores foram produzidas em 1968, 1971, 1985, 1996 e 2007, além de filmes em anime e filme live-action.

Batalha de Best Girls do anime e aquela encarada monstro estilo UFC.

Como eu não assisti as séries anteriores e não li o mangá original, não sei dizer bem se essa nova animação é alguma sequência, remake ou alguma história nova. Só posso dizer que assisti os dois primeiros episódios que já foram exibidos até esta data e gostei (o detalhe é que o anime está sendo exibido bem no canal e horário que era ocupado pelo recém-finalizado Dragon Ball Super).


Cutie Honey, mangá de Go Nagai (Devilman, Mazinger) que começou a ser publicado em 1973, tem o caso semelhante já que não é apenas a segunda vez que está ganhando um anime. Assim como ela já possui várias sequências em mangás e adaptações em live-action tanto para TV e cinema, o anime retorna com o nome de Cutie Honey Universe.

Não minta, você adorou esta transformação da Honey. Se você disfarçou ou riu, é porque assistiu!

Eu me lembro que cheguei a ver um pouco de uma das versões antigas do anime, mesmo assim, como não foi revelado, não sei dizer se também é uma história nova ou remake.


Captain Tsubasa, mangá de futebol de Yoichi Takahara publicado originalmente de 1981 à 1988 está ganhando a sua terceira adaptação em anime. As duas primeiras ficaram muito conhecidas no Brasil, principalmente a mais antiga que chegou a ser exibida na extinta TV Manchete na década de 1990 e com uma dublagem muito legal. A segunda foi exibida pela RedeTV! na década de 2000.

Fiz isso uma vez, a bola foi pra baixo do ônibus, só que ele passou por cima, a bola estourou e a perdi 🙁

Até a publicação deste artigo, eu só vi o primeiro episódio e percebi que muitos visuais dos personagens não sofreram alterações, diferente dos cenários. A minha curiosidade que eu quero ver neste novo remake é se eles seguirão o mangá original mostrando tudo, inclusive a parte que Tsubasa vêm ao Brasil para jogar no São Paulo FC, ou vão fatiar e mudar algumas coisas como fizeram na segunda adaptação.


Se eu for falar em atualizações das versões originais para quais estão passando na TV agora, percebemos que as séries tiveram alguma certa inclusão contemporânea, apesar de serem mantidas as essências visuais de seus personagens. Em Cutie Honey Universe e GeGeGe no Kitarou, por exemplo, os personagem terem smartphones, algo inimaginável nos anos 1960 e 70. O que seria mais semelhante a época seria algum tipo de computador que faz tudo ou comunicador, igual víamos em desenhos norte-americanos de super-heróis antigos que passavam na TV. Nos dois primeiros episódios que eu vi de GeGeGe no Kitarou, as mudanças perceptíveis são maiores. Além de uma atualização no visual dos personagens principais (o da Neko Musume, por exemplo), há outras coisas que estão mais contemporâneas como ter show de idols desses que para nós são bem comuns e internet.

Aqui você pode ver claramente a mudança de visual que a personagem Neko Musume teve ao longo dos anos em cada uma das animações de GeGeGe no Kitarou.

Neste último exemplo, poderíamos dizer que “é uma coisa normal se caso contarmos como uma nova animação”, mas se for algum tipo de sequência de série, ficaria muito estranho, como no caso de Cardcaptor Sakura, já que embora o anime estar bem atual, temos claramente um salto no tempo, uma vez que na animação antiga quando crianças, Sakura e Tomoyo se comunicavam com um walkie-talk (oki-toki para alguns) e, elas estando um pouquinho mais velhas já tem computadores com algum tipo de Skype, smartphones, drones e por aí vai.

Cardcaptor Sakura: O passado e o futuro do anime em uma só imagem. Arte por “I put waifus on a vintage TV

Os outros dois que eu citei, Lupin III e Ginga Eiyuu Densetsu, eu não estou acompanhando, mas eu acredito que entra em algum desses detalhes que eu citei acima. Quem começou a acompanha-los pode ficar a vontade para falar sobre eles nos comentários.

Um que eu não citei aqui é o anime de boxe Megalobox, que é pertence a franquia do antigo mangá de 1968 Ashita no Joe de Asao Takamori e que também tem uma adaptação em mangá que começou a ser publicada em Fevereiro deste ano por Chikara Sakuma, após o anúncio do anime. O mangá é uma homenagem aos 50 anos da franquia.

Agora virando a chave, a minha atenção começou a ser despertada pelas seguintes questões que muitos já me fizeram:Resultado de imagem para question box mario

  • Com tantos animes clássicos voltando as TVs, será que realmente é aquilo que muitos comentam? Há muitas produções de animes que não fazem sucesso por algum motivo e estão trazendo clássicos de volta para ver se dá um Up nelas? 
  • Será que as obras de mangás e novels para serem adaptadas estão tão fracas assim que fizeram as produtoras recorrerem à mangás e novels antigas?

Ou talvez as opiniões mais otimistas:

  • Será que estão trazendo essas obras de volta para que os mais jovens as conheçam?
  • Será que isso é alguma homenagem às series clássicas?

É claro que eu poderia me aprofundar mais nisso e com certeza vou comentar a respeito, só que não aqui no artigo, mas sim em um Podcast falando a respeito que o Lau e eu estaremos elaborando em breve. Sim, logo teremos de volta o Podcast do Anime Xis. Portanto, deem suas opiniões a respeito que poderemos incluir nele!

  • Será que há alguma outra que poderia ser inclusa nisso?

Bom, por enquanto é tudo. Fiquem a vontade para comentar e dar suas opiniões a respeito (e eu leio todas hein) e me diz ai o que você vêm assistindo e achando desses animes em exibição.


É isso ai pessoas, espero que vocês tenham gostado (e não gostado) do artigo de hoje e eu volto em breve com um novo artigo De Quinta, aqui no Anime Xis!

Vale lembrar que também estamos abertos para sugestões de matérias para o De Quinta e consequentemente para todo o Anime Xis. Pode mandar suas perguntas, xingamentos e vale presentes através do meu twitter: @oluizsama. Você também pode me acompanhar na MyAnimeList e fazer parte do nosso clube lá: Anime Xis Brazil.

  •  E ai, o que acha? Compartilhe com os amigos e deixe seu comentário!

– Leia outras edições do De Quinta aqui no Anime Xis!

– Mais notícias de animes? Clique neste link!

Não perca nenhuma atualização, siga-nos no Twitter@Anime_Xis InstagramAnime_xis
Conhece nosso Canal no Youtube?
Curtam nossa página no FacebookAnime Xis e entrem no nosso Grupo: Anime Xis!

amazon-mangas

Sobre o autor

Luiz GP

Um fã de animes de olho nas notícias de animes e que gosta Dragon Ball e animes musicais. Além de professor de geografia, narrador esportivo, fã de esportes (principalmente NFL, NBA, NHL, MLB e ciclismo), torcedor do São Paulo FC e baixista de banda de rock as vezes. Duvidas? Siga-me que eu respondo -> twitter e Insta: @oluizsama

  • Sobre Ginga Eiyuu que você perguntou, é um anime de batalha espacial, creio que não tenha tido atualização, pelo primeiro episódio tá com cara de antigo.

    Não vou falar minha visão sobre o porquê dos animes mortos em cripta, porque eu já disse minha visão “pessimista’ no meu artigo sobre revolução.

    Pessoalmente tenho minhas dúvidas sobre esses reboots, remakes, continuações, tenho pontos positivos e negativos.

    Positivos: É Ótimo pra pessoas de fora do Japão como nós que nunca veriam um gegege antigo, pra pais mostrarem pros seus filhos o que assistiam, esses animes merecem ter suas animações atualizadas, é bom homenagear o autor, as gerações mais novas da família do autor podem ver o que ele fazia.

    Negativos: O que me faz preferir os mangás ao quadrinho é o fato do mangaká (novelista, escritor) junto com seu editor serem donos da história, enquanto nos quadrinhos o criador passa e a história continua, muitas vezes seguindo um rumo que o autor detestaria. Temo que esses remakes e reboots modifiquem completamente o desejo do autor. Pode criar o falso sentimento de nostalgia de que só as coisas dos anos 60-80 eram boas. Algumas obras antigas (como alguns animes novos de agora) não merecem serem desenterrados.

    Pra mim o caminho perfeito seria: Reboots e continuações de obras antigas que foram sucesso de crítica ou de público, reboots de obras que eram obras originais boas e que não foram bem adaptadas. Sempre com a autorização e supervisão dos autores ou seus filhos e netos (como foi o caso de Atom) e sempre com o cuidado pra não avacalhar dando essas adaptações para obras ruins, ou exagerar colocando 40 animes defuntos voltando das criptas.

  • Team Rocket

    Eu até gosto de remakes, eu tenho um leve preconceito com animes antigos por conta da arte ultrapassada, a maioria dos animes de antes da virada do seculo envelheceram muito mal, então um remake arrumando isso pros moldes atuais cai bem para mim. Quanto as segundas temporadas, se tem conteúdo novo pra ser adaptado então Why Not? Só fico com um pé atrás se for uma nova season filler, fora isso é de boas pra mim tmb.