Notícias

Lolis WINS! EUA e Japão rejeitam proposta da ONU de proibir “loli” e “shota” em animes, mangás e games

| por:

Postado em: #Animes #Fãs #Games #Japão #Mangás #Opinião #Produtos

Além deles, a Áustria também divulgou relatório que contra-argumentam a proposta da ONU citando a falta de clareza sobre o "não uso de pessoas reais".

O Comitê dos Direitos da Criança das Organizações das Nações Unidas publicou comentários recebidos de várias nações sobre o projeto de lei “Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos da Criança” que anunciaram em Fevereiro. A lei foi investigada por algumas nações. Enquanto a lei seria usada para reforçar a prostituição infantil e os meios de comunicação que retratam crianças sexualmente exploradas, eles temiam que sua terminologia em torno desse último fosse muito vaga.

Isso pode resultar no julgamento de indivíduos que não estejam envolvidos na criação ou visualização desse material (ou seja, personagens crianças que não sejam de atividade sexualmente explícita ou personagens de atividades sexualmente explícitas que não sejam crianças) e chegando ao ponto de proibirem a divulgação e comércio de conteúdos conhecidos como “lolis” (garota menor) e “shota” (garoto menor).

A ONU postou várias respostas à sua proposta de várias nações e organizações. Os Estados Unidos, o Japão e a Áustria apresentaram todos os problemas que tinham com a lei proposta. Os Estados Unidos (em resumo) afirmaram que desejavam que suas próprias leis locais prevalecessem sobre as leis propostas pela ONU:

“Parágrafo 62:“… insta os Estados partes a proibir, por lei, material de abuso sexual infantil sob qualquer forma…. incluindo quando esse material representa representações realistas de crianças não existentes ”.

Nos Estados Unidos, a lei federal estabelece que é ilegal criar, possuir ou distribuir uma representação visual de qualquer tipo, incluindo um desenho, desenho animado, escultura ou pintura, que retrate um menor envolvido em conduta sexualmente explícita e que seja obsceno. No entanto, representações visuais (CGI, anime, etc.) onde não existe uma criança “real” são tipicamente protegidas pela Primeira Emenda (a menos que as representações visuais sejam obscenas) e pelas obrigações dos Estados Unidos sob o PIDCP. 

Sugerimos que você edite o parágrafo da seguinte forma: “… insta os Estados partes a proibirem, por lei, de acordo com seus sistemas jurídicos nacionais, material de abuso sexual infantil sob qualquer forma…. incluindo quando esse material possui representações realistas de crianças não existentes”.

O Japão também afirmou preocupações semelhantes, afirmando remover material de áudio e escrito da lei, bem como esclarecer se uma peça supostamente ofensiva da mídia está retratando uma criança.

“14. O Japão acredita que a restrição à liberdade de expressão deve ser mantida a um mínimo e que uma consideração altamente cuidadosa precisa ser dada ao escopo da pornografia infantil. Diante disso, considerar que a pornografia é tradicionalmente chamada de objetos visualmente reconhecíveis, seja por meio de representações em áudio ou materiais escritos, deve ser cuidadosamente considerada. O Japão propõe, portanto, excluir “representações em áudio” e “materiais escritos impressos ou on-line” da terceira frase do parágrafo 61.

Além disso, pelas razões explicadas acima, se as sanções penais devem ser impostas, mesmo que o caso envolva pornografia de uma criança não existente, precisa ser cuidadosamente considerada. O Japão propõe acrescentar “na medida em que representa uma criança existente” no final do parágrafo 61. […] ”

Finalmente, a Áustria também expressou suas preocupações, afirmando que a legislação da UE (União Européia) já tinha uma definição que eles achavam mais precisa.

“De acordo com a proposta do Comitê, desenhos e desenhos animados podem ser considerados como pornografia infantil no sentido do Artigo 2 letra c do OPSC. Neste contexto, gostaríamos de salientar que a definição de pornografia infantil na mais recente Directiva da UE 2011/93 / UE inclui

1. representações de uma criança real (Artigo 2 letra c (i) e (ii) 
1. representações de qualquer pessoa que pareça ser uma criança (Artigo 2 letra c (iii) 
2. imagens realistas de uma criança (Artigo 2 letra c (iv).

“Na medida em que desenhos e desenhos animados não contêm imagens realistas, não vemos a necessidade de tratá-los como pornografia infantil”.

LOLIS WINS! (Anime: Gochuumon wa Usagi Desu ka?)

 

Grupos também expressaram suas preocupações sobre a lei proposta. A Sociedade Japonesa para Estudos em Cartoons e Quadrinhos (JSSCC) expressou preocupação de que o contexto de uma mídia não importaria sob a lei:

Em primeiro lugar, gostaríamos de salientar que sinceramente respeitamos e apoiamos os esforços da ONU para proteger as crianças verdadeiras contra o abuso e a exploração sexual.

No entanto, a mais recente diretriz preliminar do Comitê da ONU sobre os Direitos da Criança parece afirmar que toda representação fictícia, incluindo desenhos e/ou prosa escrita, deve estar sujeita a regulamentação e ser proibida por lei.

Argumentamos que haveria muitos casos em que, como declarado no parágrafo 64 da minuta, “pode ser complicado estabelecer com certeza se uma representação é intencional ou usada para“ fins predominantemente sexuais ”. ”Essa dificuldade em estabelecer esse ponto poderia causar confusão. De fato, no Japão, houve casos em que o Ato de Regulação e Punição de Atos Relativos à Prostituição Infantil e Pornografia Infantil de 1999 e a Proteção de Crianças provocaram confusão tanto no mercado quanto na sociedade. Logo após a promulgação da lei, mangás como Vagabond e Berserk, obras que receberam grandes elogios por sua arte no Japão e no exterior, foram retirados das lojas pela simples razão, sem qualquer consideração pelo contexto, de retratar atos sexuais envolvendo menores. Essa retirada, no entanto, foi posteriormente revogada.

Esses casos demonstram que a linha entre se alguém vê algo como “pretendido ou usado para “propósitos principalmente sexuais”” ou não é muito subjetivo.

Portanto, a JSSCC está profundamente preocupada com o fato de que as diretrizes propostas carecem de clareza em termos do escopo do regulamento, e que o que deveria estar sujeito à regulamentação pode ser decidido arbitrariamente, resultando na supressão de alguns trabalhos desnecessários.

No exemplo acima, Berserk apresenta um personagem que foi abusado sexualmente quando criança. Embora não tenha a intenção de ser para fins predominantemente sexuais, a JSSCC argumenta que a lei proposta, tal como está, seria banida sob a nova lei – apesar de não ter a intenção de fazê-la.

Comentários similares expressando as definições eram muito amplas também foram expressos pela Prostasia (leia a matéria clicando neste link)Grupo de Adolescentes Contra a Proibição de Quadrinhos de Animação e de Jogos e do Centro de Língua e Cultura Japonesa. Eles também expressaram discordância de que tal material ofensivo – corretamente identificado ou não – encorajaria os abusos da vida real.

Outras nações e grupos ainda não expressaram discordâncias com as definições propostas. Lembrando que tudo isso ainda não é um resultado definitivo e muita coisa poderá acontecer futuramente.

CRIANÇAS MERECEM CARINHO, DOCES, PROTEÇÃO E ACIMA DE TUDO, RESPEITO! (ANIME: WATASHI NO TENSHI GA MAIORITA!)

NOTA: Caso você não tenha lido a matéria sobre a ONU querer enquadrar conteúdos Loli e Shota como pornografia infantil, clique neste link e confira.


A Crônica:

Resultado de imagem para rize militar gochuumon

RIZE: -AINDA ESTAMOS DE OLHO NAS SUAS BUSCAS NO GOOGLE! (ANIME: GOCHUUMON WA USAGI DESU KA?)

Vamos por partes. Antes de mais nada, desde a primeira postagem que fizemos falando sobre este assunto, venho lendo muitos comentários de pessoas falando mal da ONU, dizendo que ela é inútil. Para quem não tem conhecimento, as Nações Unidas é uma organização de extrema importância formada com consenso de todos os país do globo onde são discutidos diversos tipos de assuntos, tratados e orientações e, apenas em casos extremos, agir para o envio de forças humanitárias de respaldo (como no Haiti, por exemplo, com acordo das forças armadas de vários países e lideradas pelo Brasil). Ela através de suas partes representativas, pode mostrar preocupações sobre algum fato e fazer essas orientações para sua nações afiliadas, mas NÃO tem o poderio de interferir se não houver um consenso das nações, como no caso acima apresentado. No caso acima, podemos ver uma refutação de dois dos seus mais importantes afiliados (EUA e Japão), o que vai fazer a ONU em algum momento divulgar ou ajustar seus protocolos de recomendações.

Como eu disse na matéria anterior, sempre que me pedem uma opinião sobre esse assunto sempre afirmo, para mim pornografia infantil é crime. No entanto eu também comentei que ainda é um assunto muito delicado de se tratar, pois ainda há quem vive do comercio desses materiais e também quem consome. Até então, a publicação, o comércio e o consumo de materiais designados loli e shota vêm acontecendo diretamente já que como o texto divulgado pela ONU, não havia deixado claro quando é falado sobre o “não-uso de pessoas reais” para divulgações desses materiais, algo que será retratado pela ONU e pelos países que a compõe. Eu também havia dito que esta questão deve ter sido o ponto-chave para que a Prostasia fizesse uma petição e vemos claramente que foi também o ponto-chave de que EUA, Japão e Áustria se manifestassem contra e questionassem em seus relatos.

Novamente volto a dizer, o assunto ainda terá muita coisa pela frente. Comentem ai nos comentários vocês (e se possível cliquem no coraçãozinho vermelho ♥ acima para aquele like), pois sinceramente, eu realmente não sei o que vai acontecer, mas nos resta apenas assistir de camarote e ficarmos atentos as novidades sobre esse caso.

Fontes: Anmo Sugoi, Nichegamer

– Mais notícias de Animes? Clique neste link!

Não perca nenhuma atualização, siga-nos no Twitter@Anime_Xis InstagramAnime_xis
Conhece nosso Canal no Youtube?
Curtam nossa página no FacebookAnime Xis e entrem no nosso Grupo: Anime Xis!

amazon-mangas

 

Sobre o autor

Luiz GP

Luiz é editor dos sites Anime Xis e Revista Mundo OK. Formado em Licenciatura Plena em Geografia pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) e um fã de animes e cultura japonesa. Além de professor escolar, já atuou como locutor de web-rádio, fã de esportes (principalmente NFL, NBA, NHL, MLB e ciclismo), torcedor do São Paulo FC e baixista de banda de rock as vezes. Duvidas? Siga-me que eu respondo -> twitter e Insta: @oluizsama